quinta-feira, 21 de maio de 2009

Coisas irritantes em marcar um jogo de futebol

Recentemente as tentativas de marcar um futebol com o pessoal não têm dado muito certo. Eu mesmo, incluvise, tive semanas com avaliações na faculdade, então só isso já é um fator "complicante". Estou há um loooooongo tempo sem jogar. Resolvi escrever esse texto. =D

Horários indisponíveis


É incrível. Independentemente do lugar que tu ligue para reservar um horário à noite, durante a semana, te dirão a mesma coisa: não pode, pois esses horários já são reservados para grupos que pagam mensalmente para jogarem toda semana. Qualquer horário das 19h às 22h, em qualquer dia entre segunda e sexta, no lugar mais mal localizado e simplório, estará quase sempre indisponível.

Preços abusivos

Hoje em dia, numa quadra de salão pequena, sem redes nas goleiras, com iluminação deficiente e goteiras, e sem estacionamento nas redondezas, te cobrarão, no mínimo, R$60 a hora. Numa quadra de futebol-sete não coberta, com o tapete de grama sintética todo fudido e cheio de buracos, e sem (ou pouca) proteção lateral (para que a bola não vá no Campus do Vale da UFRGS quando um pé-torto a isolar) te cobrarão R$75.
Em lugares mais sofisticados, os valores podem chegar a exorbitantes R$110 (salão) e R$160 (sete)

Incompatibilidade de períodos livres

Um tem provas quase todas as semanas e tem que estudar; um tem aula; um tem o trabalho; um tem aulas nas quais realiza intensas atividades físicas bem no dia que foi marcado o jogo; outro tem que acordar muito cedo no dia seguite; outro vai sair com a namorada; outro foi viajar; um não pode durante a semana; outro pode durante a semana...

Inviabilidade em razão da distância/falta de carona

Quando, finalmente, surge uma data na qual algumas pesoas podem se reunir para jogar, vem um novo empecilho: se o lugar, para alguns, é perto, para outros é muito longe. Tem alguém que vai de ônibus e desiste ou reclama ao saber que terá que pegar 2 ônibus para chegar até o local. Aí convence o "organizador" a desmarcar e reservar em outro lugar. Daí o último tem que ligar para todo mundo, avisando da troca e reexplicando onde é e tal. Aí quando chega no penúltimo telefonema, o cara solta uma das clássicas: "Putz, mas esse lugar é bem mais caro, não vou pagar tudo isso para jogar lá." ou "Bah meu, não dá, muito longe esse para mim. Acho que não vou poder. Por que tu trocou? O outro estava bom..."

"Não marca, não jogo." e "Não joga, não marco."

São dois problemas razoavelmente compreensíveis, mas nem por isso menos irritantes. É difícil para alguém confirmar presença, quando ainda não sabe nem o local do jogo (como fará para chegar lá, onde estacionará, etc) e nem o horário (pois pessoas têm compromissos xD). Da mesma forma, é chato o cara marcar o jogo, combinar tudo com o pessoal, e depois ter que trocar o local/horário/data ou mesmo cancelar o jogo por causa de uma minoria que não poderá comparecer.

Pessoas que avisam de última hora

Essa pode ser até uma auto-crítica, pois já tive que fazer isso, inclusive recentemente, hehe, mas também já passei por isso como "organizador". Entendo os dois lados.
Está tudo certinho, na tranquilidade. Tu está te arrumando para, logo mais, ir para o jogo, quando te telefonam, ou avisam via MSN/Orkut: "Cara, não vou poder ir, aconteceu (aqui no espaço entre parênteses tu diz alguma desculpa aleatória (no meu caso pelo menos era verdade...))."

Pessoas que confirmam presença e não vão

Quando acontece isso é pior do que quando avisam na última hora. Tu fala com o sujeito, ele te diz algo como: "Certo, já tô lá!" ou "Claro, pode me confirmar aí que eu vou com certeza." Quando chega na hora do troço, está quase todo mundo lá. Resolvem somente bater uma bolinha (passes, chutes a gol) enquanto esperam que chegue o tal cara. Dez minutos, nada. Quinze minutos (um 1/4 do tempo total do jogo), nada. Um time tem que começar a jogar com um a menos mesmo. Daí o jogo fica disparelho e começam a reclamar. Às vezes, passada meia hora, chega o elemento. Mas na esmagadora maioria das vezes, ele não vai mesmo.

Pagando a quadra

Essa parte é sempre uma droga. Tu que organizou. O valor era R$6/cabeça. Te dão R$10. Outros te dão R$20. Eles fazem isso ao mesmo tempo. Tu tem que ficar contando o dinheiro. Sorte que alguns (poucos) dão o dinheiro trocado, em moedas de R$0,50 R$1 e/ou notas R$2 e R$5. Tu dá o troco para uma parte da galera, mas outros ficam sem. Aí tu tem que levar o dinheiro no cara do caixa para pagar e pedir os trocos para o pessoal. Mesmo assim, uns ainda ficam sem troco e tu tem que combinar de entregar o dinheiro outro dia.
Muitas vezes ainda acontece de ir mais (ou menos) gente do que o planejado, e daí tu tem que recalcular, na hora, o novo valor/cabeça, e quando isso ocorre, invariavelmente dá um valor quebrado (ex.: R$7,45) ou uma dízima (a)periódica.

2 comentários:

Arthur disse...

foda...se eu pudesse eu jogava meu de boa..
mas tranquilo sempre tem os furão de plantão né tu tá ligado já como tu mesmo disse...

Giovanni disse...

sim, inclusive EU mesmo ja fui um.. =/
mas eh isso neh, as vezes num da